Fatos Importantes e Curiosidades sobre a Suíça

Choose the Language ↓ Escolha o Idioma

EnglishFrenchGermanSpainItalianDutch
RussianPortugueseJapaneseKoreanArabicChinese Simplified
 
 

  1. A Língua
  2. A Moeda
  3. O que é Confederação Helvética?
  4. Um País Rural
  5. Estradas e Pedágios - O Vignette
  6. A Religião
  7. Gastronomia
  8. Comer é uma Arte!
  9. Château de Chillon, o monumento mais visitado da Suíça
  10. O Toblerone
  11. Einstein e a Teoria da Relatividade
  12. Charlie Chaplin e Freddie Mercury
  13. O CERN e a Partícula de Deus

 

  • A Suíça é considerada o país oficial dos Alpes e do chocolate.

  • Muita gente pensa que a capital da Suíça é Zurique ou Genebra, mas na verdade a capital é Bern.

  • Genebra é a segunda maior cidade da Suíça, mas é uma das menores cidades da Europa. Desenvolvimento não é sinal de tamanho! A maior cidade é Zurique, que também é pequena.

  • A Suíça é sede de inúmeros bancos, instituições financeiras e escritórios de empresas do mundo todo. Está na lista dos países mais ricos da Europa. Na classificação “qualidade de vida”, já foi eleita várias vezes o melhor país para se viver, baseado nas perspectivas de educação, saúde e segurança. A renda per capita da população é uma das mais altas da Europa. 

  • Genebra é a cidade da Europa onde ficam as sedes da ONU (Organização das Nações Unidas), da OMS (Organização Mundial da Saúde), da Cruz Vermelha e por isso é um importante centro diplomático mundial. Genebra é chamada de "Capital da Paz". Já em Lausanne ficam COI (Comitê Olímpico Internacional) e o Museu Olímpico. E Zurique é a sede da FIFA

  • Em Luzern fica o museu mais visitado do país, o Museu do Transporte da Suíça. O segundo museu mais visitado é o Museu Olímpico que fica em Lausanne.

  • A Suíça é dividida em vários Cantões. "Cantões" é como se fossem "estados" ou regiões.

  • O centro histórico das cidades é cheio de ruazinhas fofas enfeitadas com bandeiras da Suíça. Acho isso um charme.

  Cidades ao redor do Lago Léman.

 

  Em Zurique com Carolina Portugal.

 

A Língua

Você sabia que não existe o idioma “suíço”?

O país é pequeno e faz fronteira com 4 países diferentes (Alemanha, França, Itália e Liechtenstein/Áustria). Por isso, os 3 idiomas oficiais da Suíça são: o alemão, o francês e o italiano. A língua falada em cada cidade vai depender da região em que ela está, mas geralmente a população fala os 3 idiomas.

Nas cidades de ZuriqueLuzernBasel e Bern o idioma falado é o alemão. Por isso, o nome das ruas e dos pontos turísticos são todos em alemão. É um alemão com sotaque de suíço rs, mas é alemão. 

   Suíça em alemão se escreve Schweiz (pronúncia: Schwáiz)

 

Já nas cidades ao redor do Lago Léman (as principais são Genebra, Lausanne e Montreaux) lá se fala francês. Mas não se preocupe porque dá pra se virar bem falando inglês numa viagem pela Suíça.

 

A Moeda

A Suíça não faz parte da União Européia e por isso a moeda do país não é o Euro e sim o Franco Suíço. Mas todos os estabelecimentos comerciais aceitam o Euro. O único problema disso é que eles devolvem o troco em Franco Suíço. E a cotação depende de cada lugar. Então tem lojas e restaurantes que usam uma cotação “injusta” e a gente nem pode reclamar. Para evitar esse tipo de situação, antes de viajar troque o dinheiro em casas de câmbio e use cartão de crédito sempre que puder.

O Franco Suíço é uma moeda cara para nós brasileiros. Viajar pela Suíça é caro para quem ganha em Real. Mas não reclame! Vá, curta a viagem e deixe para chorar as pitangas quando voltar para o Brasil, rs.

 

O que é Confederação Helvética?

A Suíça antigamente era formada por vários cantões autônomos, que cuidam dos assuntos à nível local. As diferenças entre eles era enorme. Cada um tinha suas moedas e leis. O país não tinha uma unidade, não existia uma liderança que pensava num todo. A formação de uma Confederação representou a necessidade de criar uma autoridade central para tratar dos assuntos do país como uma nação e isso resultou na Constituição Federal Suíça de 1848. 

Helvetia é o nome feminino personificado da Suíça, mais precisamente da região central do país que fica entre a Cordilheira do Jura (ao norte) e os Alpes (ao sul). Esse nome foi dado pelos antigos romanos por causa da tribo dos helvécios que viviam nessa região. Os suíços consideram a Helvetia como sendo a representação da “mãe pátria” e por isso encontramos a figura dessa “deusa romana” em várias coisas na Suíça, inclusive na moeda de 2 Francos.  

CH vem de Confederação Helvética, o outro nome dado à Suíça!

  • Por isso que o símbolo da moeda Francos Suíços é CHF. 

  • E nas estradas, a gente vê placas e adesivos nos carros com o símbolo CH

  • Sites e e-mails suíços têm a terminação "ch" (www. .. .ch)

Porém, o período de formação da República Helvética foi muito controverso na Suíça. Para cantões de algumas regiões foi uma época de liberdade política, mas para outros houve dominação estrangeira, derrota militar seguida de ocupação e isso gerou muita revolta. Tanto que em 1995, o Parlamento Federal optou por não celebrar o aniversário de 200 anos da República Helvética, mas permitiu que os cantões individuais celebrassem se assim desejassem.

 

Um País Rural

A Suíça é bucólica, cheia de fazendas com pastos lindos. As cidades maiores são Zurique e Genebra, e mesmo assim são pequenas. Fora isso, todo o restante do país é habitado por pessoas que vivem em fazendas ou em pequenos vilarejos. 

 

Estradas e Pedágios - O Vignette

As estradas da Suíça são maravilhosas, com paisagens de tirar o fôlego. Viajar de carro ou de trem é a melhor maneira de apreciar o país. Entre uma cidade e outra a gente dirige vendo cenários lindíssimos como esse.

Porém há um pedágio a ser pago anualmente através de um selo colado no vidro da frente do carro. Esse selo se chama Vignette (fala-se vinhéte). Todo ano o selo é de uma cor diferente e tem que ser trocado e pago novamente. Custa 40 CHF.

Quando alguém aluga um carro na Suíça, ele já vem com o selo colado no vidro e o valor está embutido proporcionalmente no preço do aluguel.

Para quem mora nos países vizinhos (no meu caso era a Alemanha) é comum ter o selo suíço no carro, principalmente para quem cruza a fronteira com bastante frequência, no caso de turismo ou trabalho. A gente compra o selo nas alfândegas das fronteiras, aquelas cabines que ficam nas estradas antes de entrar no país.

 Alfândega na fronteira entre Alemanha e Suíça.

 

Se for pego dirigindo sem o selo, as multas são altíssimas! E não pense que por morar em outro país a multa não chega, porque chegaaa sim!!! Suíço é muito eficiente pra essas coisas! Eles acham você para cobrar até na lua se precisar rs, através da placa do carro, do seu endereço ou do registro do carro alugado.

 

A Religião

Por causa da Reforma, o país que era predominantemente católico passou a ter um grande número de protestantes e ateus.

Para quem visita outras catedrais na Europa, pode parecer que as igrejas da Suíça são mais simples por dentro. Isso é devido à Reforma Protestante que promoveu a retirada de imagens e ornamentos. A justificativa dos protestantes é que as pessoas têm que se importar apenas com a presença de Deus, e para isso não é necessário luxos nem decoração exagerada.

   Catedral de Bern.

 

  Catedral de Lausanne.

 

Gastronomia

Em matéria de doces, essa terra é uma perdição. Um mais lindo que o outro, e um mais gostoso que o outro também. Tem que experimentar pelo menos um! 

Espalhadas pelas cidades ficam as confeitarias com suas vitrines lindas e tentadoras. 

A comida típica da Suíça é praticamente alemã. Há vários tipos de salsichas pra escolher, ou carne de Schnitzel, um bife fino empanado de porco. Sempre acompanhados de batatas e molho. 

 

Comer é uma Arte!

Deixa eu abrir um parênteses aqui para falar uma coisa: Ao sentar em algum restaurante mais fino na Suíça não tenha pressa para comer e ir embora logo! Preparar um belo prato é uma arte para os suíços! Então o chef vem à mesa para conversar com a gente e tem todo um ritual, entradas, escolha da bebida ideal que combine com o cardápio, etc. O prato principal demooooora pra ficar pronto (porque o cozinheiro prepara com muito cuidado e capricho). Aí vem a sobremesa, que é outro ritual. O café no final etc.... enfim, comer em um restaurante tradicional por lá pode demorar horas. Então se programe.

 

Château de Chillon, o monumento mais visitado da Suíça

  Foto: Wikipedia.

 

Às margens do Lago Léman fica o belíssimo castelo medieval Château de Chillon. Esse é o castelo mais charmoso e famoso da Suíça, conhecido no mundo todo. É o monumento suíço mais visitado e um dos mais bem preservados da Europa, estando classificado como monumento histórico. O Château de Chillon fica em Veytaux, a 3 Km de Montreux, de frente para as montanhas dos Alpes. Sim, é um sonho! 

O castelo foi ocupado desde a Idade do Bronze e é resultado de muitos séculos de construções e restaurações. Não é possível datar com exatidão o seu ano de construção, mas os primeiros registos escritos do castelo são de 1150. 

A visita por dentro do castelo percorre os aposentos e pátios internos. É possível ver armaduras, armas, mobílias e afrescos nas paredes que datam desde o século 13. Esse é um ótimo passeio para quem quer conhecer por dentro um castelo de verdade.

Preço 13 CHF por pessoa. Site oficial do castelo (em inglês)→https://www.chillon.ch/en/

  Fotos da internet.

 

O Toblerone

Bern, a capital da Suíça, foi a cidade onde nasceu o famoso chocolate Toblerone. 

O Toblerone foi criado em 1908 pelos suíços Theodor Tobler e Emil Baumann, que eram confeiteiros em Bern. Acreditava-se que a sua forma triangular tivesse sido inspirada nos Alpes suíços.

  • O nome do produto combina o sobrenome do fundador Tobler com a palavra italiana torrone

  • O nome também contém as letras do local onde é produzido: Toblerone (bern)

  • No logotipo aparece um urso, o símbolo da cidade de Bern. Bär é "urso" em alemão.

Já fazem alguns anos que a empresa foi vendida a uma grande multinacional americana. Porém o Toblerone continua sendo fabricado em Bern. Os novos donos compreenderam a importância que o "Made in Switzerland" agrega à imagem do produto e resolveram manter a tradição.

 

Einstein e a Teoria da Relatividade

Einstein nasceu em Ulm na Alemanha. Eu já escrevi um post sobre lá. Clique AQUI para ler. 

Em 1902, ele se mudou para Bern na Suíça onde se casou e teve seu filho. Lá surpreendeu a comunidade internacional da física com a Teoria da Relatividade, provando que espaço, tempo, massa e gravidade estão totalmente relacionados. Lembra da fórmula? E = mc² 

No centro histórico de Bern fica o apartamento onde Einstein morou. O local pode ser visitado e os ambientes estão lá exatamente como o cientista deixou quando criou seus trabalhos mais importantes. 

No Museu Histórico de Bern (também chamado de Museu de Einstein), tem uma exposição permanente muito mais completa sobre o cientista. Mas esse apartamento mostra o lado mais pessoal dele, que ia desde o prazer de fumar cachimbo à paixão pela música.

Para mais informações sobre o apartamento de Einstein, esse é o link oficial →https://www.einstein-bern.ch/

 

Charlie Chaplin e Freddie Mercury

A região de Montreux no Lago Léman, além de ser a cidade sede da Nestlé, é onde Charlie Chaplin e Freddie Mercury escolheram para viver seus últimos anos de vida. 

A casa que Chaplin morou hoje é um museu onde ficam réplicas dos cenários dos filmes mais famosos do ator. É um museu super interativo onde os visitantes podem participar das cenas. 

Já a banda Queen esteve em Montreux em 1978 para gravar 1 álbum e acabou gravando 7! Freddie Mercury se apaixonou pela cidade e decidiu morar por lá. O studio de gravação ficava dentro do Cassino de Montreux, e foi comprado pela banda. A sala de controle e o equipamento de som usados pelo Queen continuam lá do mesmo jeito que eles deixaram. O lugar pode ser visitado e é muito especial pois foi o último local onde Freddie Mercury tocou antes de morrer. 

  Foto: Queen Experience.

 

No museu tem roupas de shows, objetos pessoais, tudo de grande valor emocional. E o melhor de tudo, a entrada é GRÁTIS!

A banda sempre tirava fotos em frente ao Lago Léman para divulgar os álbuns gravados em Montreux. Por isso, em homenagem à Freddie Mercury, uma estátua de bronze foi colocada ali em 1996 eternizando uma de suas poses mais famosas.

 

Para ler mais detalhes sobre os museus de Charlie Chaplin e da Banda Queen em Montreux clique AQUI

 

O CERN e a Partícula de Deus

O CERN fica em Genebra. É o famoso centro europeu de pesquisas nucleares que abriga o lendário acelerador de partículas, o Grande Colisor de Hádrons (LHC), com seus 27 quilômetros de diâmetro que fica a 175 metros abaixo do solo. Foi graças a este projeto que foi descoberto o bóson de Higgs, a chamada “partícula de Deus”, um elemento subatômico que, segundo cientistas, seria o que resulta no surgimento da massa a partir de partículas como átomos e elétrons. 

Dentro deste acelerador acontecem pequenas explosões controladas, similares ao que possivelmente foi o Big Bang. A partir daí, os pesquisadores estão cada dia mais perto comprovar teorias que explicam a formação do universo e a composição das partículas elementares, que deram origem à vida.

Desde então veio a tão polêmica pergunta: Deus existe? Mas não é sobre isso que quero debater aqui nesse post, óbvio.

No livro “Anjos e Demônios” de Dan Brown, Robert Langdon investiga a misteriosa morte de um cientista do CERN. O filme começa com imagens impressionantes rodadas no Centro de Pesquisa. Na história, a antimatéria – também denominada "partícula divina", por se supor que dela se originou o universo – é roubada do CERN logo após a sua criação. 

O CERN pode ser visitado! As visitas devem ser agendadas com pelo menos 3 dias de antecedência. Site oficial →https://home.cern/

 

Leia também:

Lago Léman e as lindas cidades ao redor

Zurique e seus Pontos Turísticos

Bern, a Capital da Suíça

Genebra

Outras cidades e passeios pela Suíça

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.

MMorei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.orei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.