Genebra - Suíça

Choose the Language ↓ Escolha o Idioma

EnglishFrenchGermanSpainItalianDutch
RussianPortugueseJapaneseKoreanArabicChinese Simplified
 
 

  1. A Língua
  2. Lago Léman e o Jato de Água
  3. Jardim Anglais e o Relógio de Flores
  4. Centro Histórico
  5. Catedral de Genebra
  6. Place du Bourg-de-Four
  7. Place du Molard
  8. A Sede da ONU (Organização das Nações Unidas)
  9. Sede da Cruz Vermelha
  10. A Sede da OMS (Organização Mundial de Saúde)
  11. Quai du Mont-Blanc
  12. O Carouge
  13. CERN e o Acelerador de Partículas

 

  • Genebra é uma cidade da Suíça que fica na parte sul do enorme Lago Léman, rodeada pelas montanhas dos Alpes e do Jura, com vista privilegiada para o Mont Blanc (que fica na França). 

  • A cidade é sede da ONU, da OMS e da Cruz Vermelha, e por isso é um importante centro diplomático mundial. Genebra é chamada de "Capital da Paz".

  • É a segunda maior cidade da Suíça, mas é uma das menores da Europa. Desenvolvimento não é sinal de tamanho! A maior cidade da Suíça é Zurique, que também é pequena. 

  • No verão é a capital da qualidade de vida e da tranquilidade. Não espere encontrar um lugar agitado rs. Mesmo no "calor", os dias são ensolarados porém frios. Os cisnes são os únicos a nadarem tranquilamente nas águas cristalinas e frias do lago Léman.

  • Genebra fica entre dois rios, o Rio Arve que se junta com o Rio Rhône. Esse último nasce nas geleiras dos Alpes, alimenta o Lago Léman e segue seu caminho pela França até desembocar no Mar Mediterrâneo.

  • Genebra fica pertinho de Lausanne e Montreux. Indo de carro dá cerca de 50 minutos apenas (uns 64 Km). Um ótimo passeio bate-volta de 1 dia pra se fazer. A estrada é magnífica, com lindas vistas do Lago Léman e dos Alpes. Muita gente faz esse trajeto de trem ou de barco também.

  Genebra! Foto: O Viajento.

 

A Língua

Não existe o idioma “suíço”. O país é pequeno e faz fronteira com 4 países diferentes (Alemanha, França, Itália e Liechtenstein/Áustria). Por isso, os 3 idiomas oficiais da Suíça são: o alemão, o francês e o italiano. A língua falada em cada cidade vai depender da região em que ela está, mas geralmente a população fala os 3 idiomas.

As cidades ao redor do Lago Léman, como no caso de Genebra, falam francêsPor isso, o nome das ruas, dos comércios e dos pontos turísticos são todos em francês. 

  "Pão assado no forno à lenha"

 

Nas cidades da região central e norte da Suíça, como ZuriqueLuzernBasel e Bern, o idioma falado é o alemão. Mas não se preocupe porque dá pra se virar bem falando inglês em toda a Suíça.

 

Lago Léman e o Jato de Água

  Foto: Turismo de Genebra.

 

O Lago Léman é enorme. É o lago de maior volume de água da Europa Central. Também chamado de Lago de Genebra, ele liga várias cidades suíças e francesas pois fica na fronteira desses dois países. 

    Foto: Guiageo Europa.

 

Estando na cidade por mais de 1 dia, dá pra fazer  um belo passeio de barco pelo lago. Tem um tour que dura cerca de uma hora e custa 19CHF por pessoa que fica pelos arredores de Genebra mesmo. Mas também há linhas que ligam Genebra à outras cidades mais distantes, como Lausanne e Montreux. Os barcos saem de vários piers espalhados ao longo do calçadão Quai Gustave-Ador

Há um forte jato de água que sai do lago, o chamado Jet d’Eau, que atinge até 140 metros de altura, o que lhe rendeu o título de fonte mais alta do mundo. A velocidade do jato chega a 200 km/h. O Jet d´Eau surgiu no final do século 19 quando construíam um reservatório na rede hidráulica da cidade e na ocasião, foi criado um cano de escape para jorrar água para o alto. O jato agradou tanto a população que criaram uma fonte no mesmo lugar, mas bem mais poderosa. 

  À noite, a fonte recebe uma iluminação especial.

 

Jardim Anglais e o Relógio de Flores

Pont du Mont-Blanc fica num lugar estratégico da cidade, onde o Rio Rhône deixa o Lago Léman. 

Logo nos pés da ponte tem uma área verde, um pequeno parque chamado de Jardin Anglais. Fica cheio de gente sentada nos bancos ou até mesmo deitada no gramado apreciando a vista do lago. Caminhar ali pelo calçadão Promenade du Lac é muito agradável.

  Foto: O Viajento.

 

No Jardin Anglais fica o L' Horloge Fleurie, que é um relógio feito de flores plantadas ali. O relógio tem ponteiros de verdade e é super pontual! Foi criado em 1955 para homenagear as tradicionais marcas relojoeiras da Suíça. Em cada ano as flores são de uma cor diferente.

 

Centro Histórico

O centro histórico é cheio de ruazinhas fofas enfeitadas com bandeiras da Suíça e do cantão de Genebra. É formado por um labirinto de vielas e pequenas ladeiras, com galerias e passagens que levam de uma rua à outra.

Explorar o centro histórico a pé é a melhor forma de conhecer a cidade.

 

Catedral de Genebra

  Foto Wikipedia.

A principal igreja da cidade é a Cathédrale de Saint Pierre. Em estilo neoclássico com traços góticos, foi construída no século 13 e sofreu várias alterações ao longo dos séculos até ficar com a aparência atual. Como em várias outras catedrais da Suíça ela já foi católica, mas passou a ser protestante no século 16 depois da Reforma

Por dentro ela é bem bonita. Pode subir os 500 degraus da torre para ver a cidade do alto. No subsolo da catedral funciona o Museu Arqueológico e há também uma exposição permanente sobre a história de Genebra.

Para saber horários, preço e informações do museu, clique no site oficial da catedral →https://www.cathedrale-geneve.ch/

Na esquina da catedral fica o Ancient Arsenal, um museu de artilharia com uma coleção de canhões antigos e painéis de mosaicos com temas bélicos. É uma arcada aberta que fica na calçada, a gente vê da rua mesmo. Ao lado fica o Hôtel de Ville, que já foi a prefeitura da cidade, mas hoje abriga a sede das autoridades do cantão de Genebra.

 

Place du Bourg-de-Four

À poucos metros da Catedral de Saint Pierre fica a Place du Bourg-de-Four, que é o coração do centro histórico de Genebra. É a praça mais antiga da cidade. Aqui funcionou um mercado de grande importância no século 9. 

A Place du Bourg-de-Four é uma típica praça européia com uma fonte no meio e cheia de restaurantes ocupando as casas ao redor. É um lugar movimentado, um agito fora do habitual de Genebra. Um ótimo lugar para uma pausa no passeio para tomar um café.

 

Place du Molard

Essa é uma área nobre da cidade. Há hotéis de luxo, carrões circulando pelas ruas e várias lojas de grife, principalmente nas ruas Rue du Rhône, na Rue de la Croix-d’Or e na Rue de Rive. Aqui tem muitos cafés e excelentes restaurantes.

Aliás, deixa eu abrir um parênteses aqui para falar uma coisa; Ao sentar em algum restaurante em Genebra não tenha pressa para comer e ir embora logo! Comer na suíça é uma arte! Eles consideram assim! Então o chef vem à mesa para conversar com a gente e tem todo um ritual, entradas, escolha da bebida ideal que combine com o cardápio. O prato principal demooooora pra ficar pronto (porque o cozinheiro prepara com muito cuidado e capricho). Aí vem a sobremesa, que é outro ritual. O café no final etc.... enfim, comer em um restaurante tradicional por lá pode demorar horas. Então se programe.

No meio da praça tem uma torre medieval, a Molard Tower, construída em 1591 que é aberta ao público. Curiosidade: Lenin morou em Genebra de 1903 à 1908, época em que amadurecia sua concepção de partido revolucionário. Como Genebra era na época uma cidade de refugiados e Lenin era um deles - ele chegou a Genebra depois de ser preso por 3 anos na Sibéria - em 1920 o relevo com a cabeça de Lenin foi impressa na lateral da Torre Molard com os dizeres: GENEVA CITE DE REFUGE. 

  Foto: Alamy.

 

O grande destaque da Place du Molard na verdade a gente só vê à noite. A calçada de paralelepípedos fica toda brilhante (parecendo um céu estrelado) por causa das várias placas luminosas espalhadas pelo chão. Nelas está escrito bem-vindos em vários idiomas. 

 

A Sede da ONU (Organização das Nações Unidas)

  Foto: Gisela Cabral.

 

Para quem gosta de política internacional, não pode deixar de visitar a sede da ONU (Organização das Nações Unidas). O Escritório em Genebra é a segunda maior das quatro principais sedes da organização no mundo (a primeira é a de Nova York). A ONU funciona dentro do Palácio das Nações, que é um edifício construído em 1929.

Em frente à praça que está o Palácio das Nações fica o monumento “Broken Chair“, uma cadeira gigante com uma perna quebrada. A obra é do artista suíco Daniel Besset e foi feita em 1997 como forma de protesto contra as minas terrestres usadas em algumas guerras. A princípio, a escultura ficaria por ali apenas por alguns meses, mas fez tanto sucesso que está lá até hoje. 

   Foto: Geneva Tourism.

 

Anualmente efetuam-se cerca de 8 000 reuniões com mais de 500 participante cada nas 34 salas de conferência. Uma parte do palácio é aberta aos visitantes. É possível visitar o interior através de um tour guiado de 1 hora, que acontece várias vezes ao dia. Informações no site oficial →Clique AQUI

  Foto: Jean-Marc Ferré.

 

Sede da Cruz Vermelha

Em frente ao Palácio das Nações da ONU fica o Prédio do CICR (Comitê Internacional da Cruz Vermelha). A Cruz Vermelha é uma organização que presta assistência humanitária (de saúde e direitos humanos) às vítimas de guerras e conflitos armados. A sede do comitê fica nesse prédio em Genebra, de onde se administra a arrecadação de fundos e a distribuição deles pelo mundo.

No mesmo prédio funciona o Museu da Cruz Vermelha. O prédio foi inaugurado em 1988 e passou por uma bela reforma em 2013.

Curiosidade:

Na verdade o museu tem um nome grande: Museu Internacional da Cruz Vermelha e da Crescente Vermelha. Mas o que é Crescente Vermelha? 

De acordo com um tratado feito pelas organizações internacionais, os voluntários que estiverem atuando em zonas de conflito não podem ser atacados desde que estejam usando uma braçadeira da Cruz Vermelha (aquela faixa branca com a cruz no meio amarrada no braço). Porém, em países islâmicos, a cruz (que é um símbolo cristão) não é aceito por causa da religião. Por isso a organização adaptou o logotipo para uma lua crescente vermelha, que é o símbolo do Islã. Então, a "Crescente Vermelha" é o símbolo da Cruz Vermelha nos conflitos em países islâmicos. 

 Logo na entrada do museu há um grupo de estátuas com os olhos vendados e os braços amarrados para trás que representa a violação dos direitos humanos.

 

O museu é dedicado à obra de Werk Henry Dunants, filantropo suíço fundador da Cruz Vermelha. É um lugar que provoca emoções e leva à reflexão sobre conflitos e trabalho humanitário. Há alas interativas que fazem o visitante sentir na pele a triste realidade das vítimas de guerra.

Preço: 15 CHF. Informações de horários e compra de ingressos no site oficial →Clique AQUI

 

A Sede da OMS (Organização Mundial de Saúde)

Organização Mundial de Saúde (em inglês: World Health Organization - WHO) é uma agência especializada em saúde fundada em 7 de abril de 1948 e subordinada à ONU. Sua sede fica em Genebra. 

A OMS tem suas origens nas guerras do fim do século 19. Após a Primeira Guerra Mundial a Liga das Nações criou um comitê de higiene, que foi o embrião da organização. Segundo sua constituição, a OMS tem por objetivo desenvolver ao máximo possível o nível de saúde de todos os povos. 

O site da OMS é muito bom pois tem palestras e fórums de discursões de temas diversos que podem ser acessadas facilmente por qualquer pessoa. Site oficial da OMS→https://www.who.int/en/

 

Quai du Mont-Blanc

O Quai du Mont-Blanc é um calçadão que fica às margens do Lago Léman. Caminhar por ele é um passeio bem agradável. 

A gente passa pelo Monumento Brunswick, que é o túmulo do duque alemão Carlos II de Brunswick, uma figura importante que viveu seus últimos anos em Genebra e deixou no testamento que queria um mausoléu exatamente igual ao túmulo dos Scaligeri, que fica em Verona na Itália. E assim foi feito. 

  Foto: Meus Roteiros.

Outro ponto interessante no Quai du Mont-Blanc que merece atenção é a estátua da Imperatriz Sissi da Áustria. Na Rotonde du Mont-Blanc fica a estátua marcando o local onde Sissi foi assassinada em 1898 com uma facada dada por um anarquista italiano. Ela era uma personalidade muito famosa e querida na Áustria, que reinou por 44 anos. Sua morte causou grande comoção na época.

E por fim, tem o Bains des Paquis, que é a “praia” de Genebra. Na verdade é um deque artificial enorme construído no lago, onde as pessoas pegam sol e nadam nas águas frias do Léman. Só abre no verão e tem que pagar para usar. Coisa de europeu.

  Fotos da internet.

 

O Carouge

O Carouge fica um pouco mais afastado do centro histórico. É um bairro descolado e boêmio de Genebra que reúne restaurantes, ateliês e lojas. O bairro é famoso pelos jardins internos que ficam dentro dos prédios e residências. Alguns desses jardins ficam abertos ao público para visitação. 

 

CERN e o Acelerador de Partículas

Essa dica é principalmente para quem gosta de ciências. 

No livro “Anjos e Demônios” de Dan Brown, Robert Langdon investiga a misteriosa morte de um cientista do CERN. O filme começa com imagens impressionantes rodadas no Centro de Pesquisa. Na história, a antimatéria – também denominada "partícula divina", por se supor que dela se originou o universo – é roubada do CERN logo após a sua criação. 

O CERN é o famoso centro europeu de pesquisas nucleares que abriga o lendário acelerador de partículas, o Grande Colisor de Hádrons (LHC), com seus 27 quilômetros de diâmetro que fica a 175 metros abaixo do solo. Foi graças a este projeto que foi descoberto o bóson de Higgs, a chamada “partícula de Deus”, um elemento subatômico que, segundo cientistas, seria o que resulta no surgimento da massa a partir de partículas como átomos e elétrons. 

Dentro deste acelerador acontecem pequenas explosões controladas, similares ao que possivelmente foi o Big Bang. A partir daí, os pesquisadores estão cada dia mais perto comprovar teorias que explicam a formação do universo e a composição das partículas elementares, que deram origem à vida.

Desde então veio a tão polêmica pergunta: Deus existe? Mas não é sobre isso que quero debater aqui nesse post, óbvio.

O CERN pode ser visitado! As visitas devem ser agendadas com pelo menos 3 dias de antecedência. Site oficial →https://home.cern/

 

Curiosidade

Você sabia que CH (Confederação Helvética) é o outro nome dado à Suíça? Leia AQUI

 

Leia também:

O Lago Léman e as lindas cidades ao redor

Zurique e seus Pontos Turísticos

Bern, a Capital da Suíça

Outras cidades e passeios pela Suíça

Fatos Importantes e Curiosidades sobre a Suíça

Ana Cassiano

Morei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.

MMorei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.orei na Alemanha por 8 anos. Já visitei vários países de continentes diferentes. Sou Guia de Turismo em São Paulo, Escritora de Viagens e Colaboradora de Sites de Turismo.